Garota gravida de 7 meses Morre ao tentar abortar a criança

0

A vítima, de 20 anos, morava em Votorantim; o namorado dela foi preso após confessar tê-la ajudado no procedimento

A jovem Ana Carolina Pereira Pinto, de 20 anos, morreu após uma tentativa de aborto. O caso ocorreu na terça-feira (26), em Votorantim. Ela estava grávida de 7 meses e tomou medicamentos para interromper a gestação no domingo (24), dois dias antes. O namorado dela, K.W.M., de 22 anos, foi preso, após confessar tê-la auxiliado no procedimento.

A vítima, que morava com a família em uma casa na Vila Dominguinho, foi encontrada morta em seu quarto, pela própria mãe. Segundo o Boletim de Ocorrência (BO), por volta das 4h de terça-feira (26), o despertador do celular da filha começou a tocar sem parar, mas ela não se levantou para trabalhar, nem desligou o alarme, como de costume.

A mãe estranhou e, ao entrar no quarto para averiguar, encontrou a filha já sem vida. Em seguida, chamou o Corpo de Bombeiros, que confirmou o óbito. A Polícia Civil também foi acionada. Aos policiais, a mulher disse não saber o que havia ocorrido, pois, na noite anterior, em conversa com a filha, ela aparentava estar bem. Contou, inclusive, que ela chegou a fazer uma prova on-line da faculdade e não se queixou de nada.

Ainda conforme o BO, na sequência, por orientação da equipe de perícia, a polícia procurou o namorado da jovem. Questionado, o rapaz relatou os acontecimentos anteriores à morte da namorada. Os policiais também apreenderam o celular dele. Ao verificarem o aparelho, descobriram que o casal havia comprado um kit abortivo pela internet.

Posteriormente, os dois foram até uma pousada no bairro Parque Campolim, em Sorocaba, por volta das 11h de domingo (24). No local, a gestante ingeriu a medicação. O jovem ainda contou à equipe de investigação que ambos foram auxiliados por uma “técnica” sobre como realizar o procedimento.

A polícia igualmente encontrou, no WhatsApp dele, conversas em que a vítima se queixou de dores, após ter almoçado no sábado (25). Na noite do mesmo dia, ela relatou ter passado a sofrer, também, com cólicas, diarreia e vômitos. Por isso, pediu a ajuda do namorado para contar aos pais sobre os efeitos colaterais.

Contudo, segundo o registro policial, ele a orientou a não falar nada e a aguardar até o dia seguinte, pois temia que a família dela descobrisse a gravidez e a tentativa de aborto. Porém, ela não resistiu.

O rapaz foi preso em flagrante e levado para a Delegacia de Polícia de Votorantim, onde foi autuado por promover aborto com o consentimento de gestante. Se condenado, ele pode pegar de um a cinco anos de prisão. Como a jovem morreu, a pena pode dobrar.

Edição: Aurélio Fidêncio
Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

CLICKARAÇOIABA – Desde 1999

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário