Entenda o que é Entomologia e quem é o Mestre Eraldo Rodrigues de Lima

0

O que é Entomologia

Estudo dos insetos, área da zoologia, áreas da entomologia, entomólogo

Entomologia é a área da zoologia que estuda os insetos. Entomologia é uma palavra originária do grego, onde “entomon” significa inseto e logos corresponde a estudo.

A entomologia é responsável pelo estudo das características físicas, comportamentais e reprodutivas dos insetos. Estuda também as relações dos insetos com outros seres, entre eles o ser humano.

É uma área de estudo muito importante, pois desenvolve conhecimentos usados, por exemplo, na agricultura e saúde humana.

O profissional que atua em entomologia é conhecido como entomólogo.

Principais áreas da entomologia:

– Apiologia– estudo das abelhas

– Coleopterologia – estudo dos besouros

– Heteropterologia – estudo das borboletas e mariposas

– Mirmecologia – estudo das formigas

– Ortopterologia – estudo de gafanhotos e grilos

– Dipterologia – estudo das moscas e pernilongos

Quem é Eraldo Rodrigues de Lima

O professor Eraldo Rodrigues de Lima alcançou recentemente o topo da carreira acadêmica, sendo aprovado como professor titular. Prestes a completar 25 anos de ensino, pesquisa e extensão na UFV, ele almeja resgatar o mesmo vigor do início da carreira. “Hoje a experiência me deixou mais acordado para a vida profissional, e acordado perdemos um pouco dos sonhos. A realidade cotidiana não nos deixa sonhar muito. Deveríamos viver de novas ideias, transformar as boas perguntas em hipóteses e então mergulhar em um mundo de experimentos, análises, e não ficarmos prensados nessa urgência questionável para publicar cada vez mais”.

Desde 1994, quando foi aprovado como professor da UFV, mais de 60 estudantes de graduação participaram de atividades de pesquisa no Laboratório de Semioquímicos, sob a sua coordenação. “Vários deles começaram como estagiários da UFV ou de outras Instituições e ficaram até terminar o doutorado. Este suporte eu sempre procurei oferecer aos estudantes que iniciam e têm ideias que podem ser desenvolvidas por eles mesmos. Como exemplo, cito a Carla Arce, que hoje é professora/pesquisadora na Universidade de Neuchatel, na Suíça”.

Carla concluiu o mestrado e o doutorado em Entomologia na UFV. Ela está entre os 13 doutores e 20 mestres que o professor Eraldo orientou desde 2002, quando passou a integrar o time de orientadores do PPG em Entomologia, onde ele também já coorientou 21 teses e 19 dissertações.

Encontro com a Agronomia

O atual chefe do Departamento de Entomologia, que cumpre o seu segundo mandato, nasceu em Júlio de Castilhos (RS), mas ainda pequeno mudou-se para o Mato Grosso do Sul, estado natal de seu pai. Foi no centro-oeste que ele teve o primeiro contato com a agricultura. Filho de médico, o seu desejo inicial era fazer eletrônica, tanto é que foi para São José dos Campos (SP) para se preparar para o ITA. E foi justamente por lá que a Agronomia despertou o seu interesse. “Não foi por acaso que ao conversar com um instrutor do cursinho preparatório Anglo indaguei sobre o que era realmente a Agronomia no mercado de trabalho. Fiquei surpreendido com a resposta que me influenciou profundamente: ‘A agronomia pode ser considerada a profissão mais completa, pois envolve a Biologia, Engenharia e Ciências Humanas’. Ao explicar, falou sobre plantas e insetos, sobre construções rurais e máquinas e ainda sobre a força que a profissão exerce sobre as questões do homem no campo, das questões sociais implicadas no meio rural”. Assim, o desejo de entrar no ITA ficou para trás, e ele ingressou no curso de Engenharia Agronômica, na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), no ano de 1979.

Na graduação: “Já nos primeiros semestres vi minha forte inclinação para a Biologia e no segundo semestre iniciei meu primeiro estágio na área de Anatomia Vegetal. Ao me impressionar pelo estudo de mudanças anatômicas geradas pela perfuração de afídeos em tecidos vegetais, pesquisa desenvolvida naquele momento, passei a ficar mais interessado nos insetos que nas plantas, e foi um passo muito curto, para que no semestre seguinte, viesse a ser estagiário do professor Paulo Cesar Rodrigues Cassino, do Departamento de Entomologia e Fitopatologia. Ele, ao sentir a minha empolgação pelos insetos sob a lupa, me retirou de sala de aula e me levou ao Museu Costa Lima, onde se encontra todas as espécies ‘tipo’ que o professor Paulo Cassino descreveu. Ele abriu a gaveta de Cerambycidae e me mostrou vários exemplares de Acrocynus longimanus, o arlequim da mata, coleóptero comum nas matas do Espírito Santo. Foi ali, naquele momento, que descobri o que queria estudar para sempre, e assim o fiz”.

Ecologia Química

Ao término do curso de Agronomia, já casado e com dois filhos, o professor Eraldo mudou-se para Viçosa (MG). “A grande novidade ao fazer parte da terceira turma de Mestrado em Entomologia da UFV, e ter trabalhado no Insetário, foi começar a pesquisa em uma área muito nova no Brasil, que se dedicava à Ecologia Química. Tínhamos um grande mestre, Filósofo da Ciência, Coordenador do Programa e meu orientador, o professor Evaldo Ferreira Vilela. Ele nos deu a grande oportunidade de conhecer a ciência que havia no mundo, me mostrou a importância da literatura na área, trouxe para perto de todos nós o que havia de melhor na ciência entomológica brasileira e internacional”.

Sob a orientação do professor Evaldo Vilela, Eraldo concluiu o mestrado em 1989 e o doutorado em Entomologia, em 2001. Na dissertação, ele estudou o comportamento detalhado de emissão do feromônio sexual em fêmeas virgens de Spodoptera latifascia em função da idade das fêmeas, temperatura ambiente e o comportamento de respostas dos machos em túnel de vento. “Este trabalho foi minha iniciação ao estudo do comportamento de insetos e semioquímicos”.

No ano de 2004, ele passou um ano sabático na Suécia, na Swedish University of Agricultural Sciences, sob a  orientação do pesquisador Peter Witzgall, se dedicando a pesquisas com tomate e Tuta absoluta, praga que veio a ser introduzida na Europa via Espanha em 2006. “Foi um grande ano, pois pude aprender a estudar os voláteis de plantas e como fêmeas do inseto se comportam diante de diferentes variedades de tomate. O trabalho gerou uma publicação importante (Proffit et al., 2011), já citado até o presente, 79 vezes. A estadia na Suécia atribuo como um dos pontos altos de minha carreira, pois pude vivenciar as mais variadas pesquisas com Ecologia Química, Neurofisiologia e Comportamento”.

Gratidão

Nessas mais de duas décadas, o caminho nunca foi solitário. O professor Eraldo sempre contou com muitos parceiros: “A minha diretriz acadêmica e de pesquisa foi a de sempre trabalhar em equipe, por acreditar que a troca de ideias que se complementam é combustível para o entusiasmo que devemos manter acesos em nossas jornadas. Tanto no ensino quanto na pesquisa, sempre procurei interagir com colegas da Instituição e de outras do País e também do Exterior. Devo minha carreira aos professores de Entomologia da UFRRJ, Paulo Cassino e Eurípedes Menezes, além do grande mestre e fundador da Entomologia UFV, prof. Evaldo Vilela, por todo o pensamento a mim transmitido, me fazendo trilhar bons caminhos, elevando meu senso moral, de integridade, honestidade e conduta ao longo de minha vida acadêmica. Agradeço o apoio incondicional de minha esposa Nerilda Lima, que sempre teve a luz para solucionar os mais difíceis problemas. Fui professor na graduação e pós-graduação da minha filha Marcela e quem sabe ainda terei tempo de ensinar, na UFV, meus netos Joaquim, Helena e Pedro” – finaliza com orgulho e otimismo.

Edição: Aurélio Fidêncio
Matéria: Elaine Nascimento, Lara Mesquita e Fernando Mesquita
Fonte: FGV e site todabiologia.com
Clickaraçoiaba, O primeiro Portal de Araçoiaba da Serra – SP – Desde 1999
PARTICIPE DE NOSSO GRUPO NO WHATSAPP:
http://www.clickaracoiaba.com.br/?page_id=3899 


PARTICIPE:

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário